Planejamento na evangelização: a força que sua comunidade precisa

Planejamento na evangelização: a força que sua comunidade precisa

Planejamento na evangelização: a força que sua comunidade precisa

A fonte da ação evangelizadora, segundo aponta o Papa Francisco, é “quando permitimos a Deus que nos conduza para além de nós mesmos” (Evangelli Gaudium, 8). Isso acontece quando experimentamos o amor de Deus que nos cura, nos renova e restaura nossa alegria. “Cada cristão é missionário na medida em que se encontrou com o amor de Deus em Cristo Jesus” (Evangelli Gaudium, 120), o que significa que essa experiência não é possível de ser guardada exclusivamente para nós mesmos, pois o autêntico cristão quer comunicar o amor de Deus a todos. Isso é o que a Igreja faz, esse é o papel do leigo.

No entanto, a ação evangelizadora da Igreja, para que de fato dê frutos, precisa ser planejada.  Vamos falar sobre isso!

Os efeitos do planejamento na evangelização

A princípio o termo planejamento pode parecer algo reservado exclusivamente a indústrias e a empresas em geral; ou algo que ajude as pessoas a traçarem seus objetivos e metas de vida – planejamento da carreira etc. Mas não se engane! Dentro da Igreja, o planejamento na evangelização pode, sim, ajudá-la a cumprir com eficácia a sua missão evangelizadora.

Planejar é sempre o melhor caminho para conseguir alcançar um objetivo, uma meta, seja ela individual ou coletiva, pessoal ou profissional, e, neste caso, pastoral.

Planejar a evangelização significa criar um plano estratégico que te permita preparar, organizar e estruturar ações da comunidade em prol deste objetivo. Pois, como alertou o Papa Francisco “embora esta missão nos exija uma entrega generosa, seria um erro considerá-la como uma heróica tarefa pessoal, dado que ela é, primariamente e acima de tudo o que possamos sondar e compreender, obra de Deus” (Evangelli Gaudium, 12).

Um bom planejamento permitirá enxergar novas formas de evangelização, “um anúncio renovado”, como pediu o Papa Francisco (Evangelli Gaudium, 11), e assim, alcançar o bom êxito.

O primeiro passo é olhar para as ações da paróquia

Para iniciar o planejamento na evangelização é preciso observar as ações da paróquia com o intuito de fazer uma auto avaliação. Algumas perguntas podem ajudar neste processo:

Quais ações de evangelização estão dando certo?

Quais ações deram errado e porque?

Quais situações, dentro e fora da paróquia, podem prejudicar a ação de evangelização?

Quais pessoas desejo alcançar com a evangelização (paroquianos, moradores ao redor da paróquia, peregrinos vindos de outras localidades, etc)?

Por quais meios podemos reforçar a ação evangelizadora da paróquia (redes sociais, mural, jornal paroquial, eventos, etc.) e de que maneira?

Anote suas respostas para essas perguntas e para outras que possam surgir no momento da sua avaliando, reúna sua equipe e discutam. Todas as pastorais podem e devem contribuir também no processo de planejamento na evangelização. Ao planejarem ações de evangelização, reflitam sobre as palavras do Papa Francisco:

“Torna-se necessária uma evangelização que ilumine os novos modos de se relacionar com Deus, com os outros e com o ambiente, e que suscite os valores fundamentais. É necessário chegar aonde são concebidas as novas histórias e paradigmas, alcançar com a Palavra de Jesus os núcleos mais profundos da alma das cidades” (Evangelli Gaudium, 74).

Gisa Prado

Jornalista de formação, com longa experiência na produção de conteúdos para meios de comunicação católico. Atualmente compõem a equipe de Redação na Dominus Evangelização e Marketing. Seu coração está na evangelização!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *