Produtividade no trabalho: O que sacerdotes e religiosos precisam saber sobre gestão - Dominus Comunicação

Produtividade no trabalho: O que sacerdotes e religiosos precisam saber sobre gestão

Se tem uma coisa que interessa ao mercado de trabalho atualmente é a produtividade dos colaboradores. No ambiente corporativo, esse tipo de gestão é exigido e monitorado por meio de diversas ferramentas. 

Desse modo, sacerdotes e religiosos precisam estar antenados na produtividade do trabalho pastoral, para que não se perca tempo, dinheiro, nem qualidade de vida. Mais trabalho feito em menos tempo é um bem para quem busca mais tempo para outras demandas, como espiritualidade e estudos. 

Ser produtivo está mais relacionado à capacidade de resolver e administrar demandas de trabalho com objetividade. Produtividade é redução de custos e consequentemente lucratividade. 

Porém, é preciso olhar para sua capacidade produtiva sem negligenciar os principais pilares da vida religiosa. Para isso, apresentamos a você alguns passos para que sacerdotes e religiosos alcancem uma vida pastoral produtiva com o auxílio de ferramentas digitais e ações práticas. 

Produtividade e Gestão do tempo 

Como dito anteriormente, ser produtivo tem tudo a ver com aprender a gerir seu tempo a ponto de desenvolver diversas demandas, com excelência em uma menor parcela de tempo. 

Para produtividade a transformação digital tem uma grande colaboração. Afinal, com algumas ferramentas digitais é possível otimizar melhor o tempo e administrá-lo da melhor forma. 

Utilizar apps como o Pomodoro, que ajuda você a utilizar o método de igual nome, que promove o tempo de dedicação ao foco no trabalho e o tempo de ócio criativo e descanso, pode ser um grande auxílio. 

Os sacerdotes e religiosos devem lembrar-se que, desde as ordens eremitas, a divisão do tempo entre trabalho, oração e descanso era a baliza do cotidiano religioso. 

Isso se aplica à produtividade. Afinal, sem uma boa e efetiva gestão do tempo, considerando tais pilares, o  religioso pode cair no ativismo ou mesmo na Síndrome de Burnout, que tem acometido diversos religiosos já há alguns anos.  

Como não ser produtivo 

O cotidiano da missão exige dinâmica e disposição. Afinal, o trabalho pastoral lida com pessoas reais, com sofrimentos reais, que precisam de apoio e esperança. Ainda que seu trabalho seja operacional, o plano de fundo sempre serão as vidas que precisam receber o anúncio do Evangelho. 

Por isso, ser produtivo é necessário para uma evangelização de resultados. No entanto, há 2 grandes inimigos da produtividade que podem assombrar nossas ações pastorais: falta de planejamento e reuniões sem objetividade.

A falta de planejamento é paralisante, primeiro porque deixa a comunidade sem norte e depois porque passa a se trabalhar sem metas ou objetivos concretos, palpáveis. Portanto, é necessário que os religiosos se dediquem a aprender e dominar as técnicas de planejamento estratégico para ação pastoral, evangelizadora ou vocacional.

Outro grande rival da produtividade são as reuniões sem objetivo, logo, sem produtividade. Quem nunca foi a uma reunião pastoral que começou e terminou e não foram traçados os objetivos ou qualquer outro plano? 

Reuniões longas, cheias de retórica, que não chegam a lugar algum, travam a produtividade e estabelecem um processo que frustra e cansa mais do que motiva. 

Como ser produtivo com saúde e gestão

Não podemos pensar em produtividade sem antes termos clareza do que podemos fazer mantendo nossa qualidade de vida. Estresse, ansiedade, depressão, síndrome de pânico podem se estabelecer no religioso, se a busca por produtividade for maior que a busca por um serviço de qualidade, que não ofereça risco ao seu bem-estar. 

A exaustão extrema pode ser prevenida por uma rotina de trabalho pré-estabelecida, a gestão do tempo, como sugerida acima. Além disso, um aspecto muito importante, que alguns sacerdotes e religiosos esquecem, é a distribuição de atribuições para outros agentes de pastoral. 

Infelizmente, é bem comum na vida religiosa a centralização de atribuições em um só sacerdote ou freira. Além de não ser saudável para a vida da comunidade, o próprio religioso perde qualidade de vida psíquica e espiritual. 

Portanto, ser produtivo é sinônimo de ser criativo, e criatividade só flui em uma mente livre e saudável. Logo, é necessário abrir mão de suas inseguranças e confiar na capacidade de cada um dos nossos irmãos. Quanto mais mãos envolvidas em um trabalho, mais possibilidades e, consequentemente, produtividade surgirão. 

 

 

 

 

 

 

Heraldo Lima

Jornalista de formação, possui intensa e longa experiência missionária. Atualmente compõe a equipe de Redação na Dominus Evangelização e Marketing. Casado com a Anne, pai do Davi e do Gabriel. Seu coração está na evangelização!

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.