Evangelização online: por que não avançamos? - Dominus Comunicação

Evangelização online: por que não avançamos?

Evangelização online

Que a grande maioria das paróquias, movimentos ou comunidades possui algum tipo de interação digital é inegável. Porém, quando se trata de evangelização online, muitas se sentem ineficientes. Existe uma página no facebook ou um perfil no Instagram, e – quando muito! – um site com conteúdo evergreen (textos que não possuem prazo de validade, , cujo  objetivo é apresentar a natureza de uma instituição e suas funções), porém não se consegue avançar. 

É preciso entender que não é o “estar nas redes sociais” que faz de sua paróquia uma grande evangelizadora na rede online. São necessárias algumas iniciativas, além do uso de ferramentas que possibilitem atração, nutrição e consequentemente crescimento do número de visitantes e fiéis nas comunidades. Entenda porque sua paróquia ou movimento não tem conseguido avançar na evangelização online. 

Como avançar na evangelização online

Estamos vivendo em uma era – chamada por alguns cientistas – de pós-digital, ou seja, já passamos da fase do conhecimento e da integração do digital para um tempo em que tudo gira em torno, direta ou indiretamente, da digitalização. Contudo, nos damos conta de quão digital nosso cotidiano é quando, por algum motivo, nos vemos desprovidos da internet ou dos aparelhos de informatização. Quando se trata de evangelização, pode-se perceber que isso não acontece. A maioria das iniciativas evangelizadoras da Igreja ainda gira em torno dos recursos humanos e impressos. Logicamente, isso tem o seu valor e deve ser mantido em  evidência – nada supera o testemunho e a interação relacional entre as pessoas – porém, quando agregamos isso à evangelização online, conseguimos avançar de modo ainda mais profundo e consistente. 

Podemos elencar alguns desafios enfrentados pelas comunidades que dificultam que a evangelização online cresça.

1. Presença nas redes sociais sem expressão

A maioria das páginas e perfis de paróquias que têm dificuldade em avançar na evangelização online não possui uma expressão forte. Pode-se medir isso pela quantidade de seguidores e visitantes em cada rede social. Isso poderia ser facilmente solucionado com algumas ações:

  • Impulsionamento dos perfis e postagens mais importantes;
  • Divulgação contínua das redes sociais nos avisos das Missas, no quadro de avisos, nas artes gráficas; 
  • Proporcionar produtos, conteúdos e formações exclusivamente em redes sociais como Youtube;
  • Produzir materiais de divulgação dos eventos que se comuniquem com as redes sociais 

2. Apresentação estética retrógrada e ineficiente

Alguns perfis que não conseguem avançar na evangelização investem pouco ou quase nada na apresentação estética. As imagens usadas não possuem resolução boa, de acordo com o tamanho do local em que será usado. Muitas vezes são distorcidas as imagens dos santos utilizados ou se usam ferramentas digitais que não correspondem mais a necessidade de avanços da paróquia. Com um investimento em um designer gráfico ou a capacitação de alguém da equipe da Pastoral da Comunicação (Pascom), é possível sanar esse problema. 

3. Não conhecimento de ferramentas digitais disponíveis

Algumas vezes a falta de interação e de postagens periódicas acontecem devido ao pouco conhecimento das ferramentas digitais disponíveis. Esse tipo de erro impede que a evangelização online avance ainda mais. Alguns aplicativos podem ser utilizados para programar as postagens (Mlabs, Postcron, Etus) e outros para facilitar a boa construção de um post (Canva). 

Com um conteúdo bem produzido e postagens constantes, é possível avançar mais na evangelização online.

4. Uso das redes sociais só como informativo

Porém, algumas vezes os perfis se transformam em uma espécie de mural de avisos ou de fotos. Até se produz bem os conteúdos e se seleciona bem as imagens, porém não há relacionamento com o público. Redes sociais, seu próprio nome já diz sobre a sua natureza, é a junção de pessoas que se relacionam entre si em um mesmo ambiente. Portanto, é necessário que se curta, comente, responda os comentários, responda as directs messages (DM) para que o seu público se sinta motivado e valorizado. 

Um ponto muito importante na hora de evangelizar pela internet é a construção de um bom planejamento de conteúdo. Não dá pra ficar usando o acaso quando se pretende criar estratégias para evangelizar. É necessário estruturar bem um projeto que atinja todos os públicos e pastorais, e que se comunique também com os que não conhecem Jesus, objeto da evangelização. 

5. Falta profissionalização da Pascom 

Quando se trata de comunicação e ambiente digital, pode-se cair com frequência no erro de achar que qualquer pessoa que use facebook e instagram esteja capacitado para administrar uma rede social institucional. Do mesmo modo, nem sempre quem faz um ótimo slide para a reunião da paróquia é a melhor pessoa para construir uma peça publicitária. Os profissionais certos fazem toda a diferença na hora de produzir um conteúdo que leva a evangelização online sempre mais longe. 

Vale ressaltar que a produção mal feita de um conteúdo pode acarretar na rejeição do público e o afastamento de pessoas da vida da comunidade. Por isso, é indispensável que se siga as dicas acima a fim de que se construa uma rede social atrativa e capaz de evangelizar com autenticidade e profundidade.  

Heraldo Lima

Jornalista de formação, possui intensa e longa experiência missionária. Atualmente compõe a equipe de Redação na Dominus Evangelização e Marketing. Casado com a Anne e pai do Davi. Seu coração está na evangelização!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *