Conheça os erros mais comuns da Pastoral do Dízimo e que prejudica a arrecadação

Conheça os erros mais comuns da Pastoral do Dízimo e que prejudica a arrecadação

Conheça os erros mais comuns da Pastoral do Dízimo e que prejudica a arrecadação

Você já parou para refletir sobre o que pode ser evitado no processo de arrecadação do Dízimo? O intuito deste blog post é identificar fatos que podem impactar de modo negativo a atuação da Pastoral do Dízimo em nossas comunidades. Somente identificando os erros e acertos e conversando a respeito, poderemos mudar o que precisa ser mudado e avançar no que tem dado certo.  

Acompanhe, então, quais são os erros mais comuns cometidos na Pastoral do Dízimo com frequência.

1. Mau uso e usurpação dos valores do dízimo

A falta de zelo, de clareza e o uso indevido dos valores destinados ao dízimo são faltas graves. Sendo ações incompatíveis com os valores do Evangelho geram um testemunho negativo.  

Ao longo do tempo, trabalhando com a Pastoral do Dízimo, escutamos – infelizmente – eventuais casos de agentes pastorais envolvidos no desvio de recursos da Igreja. As consequências de tais atos afetam seriamente a credibilidade e o verdadeiro sentido da vivência da oferta naquela comunidade.

2. Desperdício de recursos

O dinheiro recebido por meio do dízimo é um dom de Deus! O Senhor, em sua infinita misericórdia, nos dá generosamente o necessário para a manutenção de todas as nossas necessidades. Desperdiçar os recursos é desperdiçar a graça de Deus, é pecar contra a Sua Divina Providência!

3. Não evangelizar

Sabemos que quando falamos do dízimo estamos falando de evangelização. Pois bem, este é o momento de fortalecer nossa atitude evangelizadora. Não basta “pedir mais”, é preciso evangelizar mais! Se sua comunidade vive dificuldades financeiras, é importante fazer uma reflexão sobre a força evangelizadora que ela exerce. Abra as portas para a evangelização que as portas da providência também se abrirão.

4. Não formação dos agentes da Pastoral do dízimo e da comunidade

A formação teórica e prática contribui de forma efetiva na qualidade da evangelização na comunidade, e evita que as pessoas que estão chegando não se sintam acolhidas. A profissionalização dos agentes se faz necessária, tendo em vista que o homem de hoje espera encontrar na igreja local de oração, acolhida e fraternidade.

5. Não realizar planejamento orçamentário

É comum encontrar comunidades que não realizam planejamento orçamentário, sem a constituição de um CAEP (Conselho de Assuntos Econômicos Paroquiais). Pesquise bem! Não tenha pressa. Planeje tudo com muita calma, prevendo possíveis problemas, gastos a mais;

6. Não investir em comunicação e marketing

Além de oferecer o melhor custo-benefício, uma boa estratégia de comunicação e marketing garante um maior alcance na evangelização, já que mais pessoas terão acesso aos eventos e informações de sua comunidade. Não investir em comunicação, em um mundo tão digital e tecnológico – no qual até mesmo o papa possui Instagram – é o mesmo que apartar-se das realidades do homem moderno.

Ao mesmo tempo, criar um perfil nas rede sociais, mas não dar continuidade ao trabalho, é o mesmo que não estar presente nas redes. É preciso compreender qual é o melhor caminho para a sua paróquia, planejar-se e executar as ações contando com o apoio de paroquianos ou mesmo uma boa agência de comunicação. Só assim será possível manter a paróquia em crescimento.

7. Excesso de campanhas

Realizar diversas campanhas ao longo do ano com o intuito de abarcar necessidades pontuais acaba por desvirtuar a compreensão sobre o dízimo. Em muitas oportunidades, observamos que a campanha faz com que o dizimista oferte menos o dízimo para que possa contribuir.

Ao invés de fazer campanhas para obras/necessidades específicas de sua paróquia, faça uma campanha única focada na conscientização do dízimo! O ideal é formar a consciência para que a devolução do dízimo se torne algo que faça parte fundamental da vida e da vivência do evangelho.

 

Francielle Lopes

Formada de Processos Gerenciais pela Faculdade de Tecnologia Senac/SC. Atualmente é gestora do Sucesso do Cliente na Agência Evangelização e Marketing e focada nos resultados dos projetos de seus clientes. Seu coração está na evangelização!