Células comunitárias: Entenda como sua paróquia pode crescer

Células comunitárias: Entenda como sua paróquia pode crescer

Se você ainda não conhece o conceito de células comunitárias, isso precisa mudar agora!

Afinal, em tempos de isolamento, em que todos tivemos que reinventar as formas de nos relacionarmos, as células comunitárias oferecem algo novo e resgatam algo essencial na vida cristã: a comunhão fraterna.

Este texto pretende apresentar o conceito e te ajudar a compreender principalmente aquilo que não é uma célula comunitária.

Portanto, acompanhe este conteúdo e saiba como esta experiência pode fortalecer a sua paróquia e renovar a evangelização e formação de novos discípulos missionários.

Entenda o que são as células comunitárias

As células comunitárias são pequenos grupos que se reúnem semanalmente, em geral nas casas das famílias. Primeiramente, para viver momentos de oração, partilha e comunhão, colocando-se assim à serviço da Igreja local.

Contudo, as células não podem ser consideradas apenas como um grupo de amigos com interesses em comum que se reúnem para momentos de devoção, formação e círculos bíblicos, por exemplo.

Esses aspectos fazem parte sim da estrutura das células comunitárias, mas não se resume a isso. Portanto, as células são, por excelência, grupos que compartilham o estilo de vida daqueles que optaram por não separar fé e vida.

Com isso, há o fortalecimento do vínculo entre os membros dessa pequena comunidade que é formada. Logo,  os membros têm a oportunidade de crescer na intimidade com o Senhor, na doação e amor recíproco. Além disso, aprendem a dar e receber apoio e aprofundar a identidade de fé.

O documento de Aparecida diz que:

“A renovação das paróquias … exige a reformulação de suas estruturas, para que seja uma rede de comunidades e grupos, capazes de se articular conseguindo que seus membros se sintam realmente discípulos e missionários de Jesus Cristo em comunhão”. (DAp, 172)

Nessas pequenas comunidades em que são formados novos discípulos missionários, repete-se o modelo das primeiras comunidades cristãs. Então, vive-se concretamente a missionariedade da Igreja Doméstica, a qual todos somos chamados.

Como são as reuniões de células? 

A evangelização por meio das células comunitárias reproduz as experiências vividas no início da Igreja, e que são descritas no livro de Atos 2:

“Diariamente, todos frequentavam o Templo, partiam o pão pelas casas e, unidos, tomavam a refeição com alegria e simplicidade de coração. Louvavam a Deus e eram estimados por todo o povo. E, cada dia, o Senhor acrescentava ao seu número mais pessoas que seriam salvas.” (At 2,46-47)

Sendo assim, as reuniões consistem da seguinte forma:

  • Momento de acolhida e fraternidade 
  • Oração inicial
  • Momento de formação 
  • Oração final e avisos

Porém, como já foi dito, as células comunitárias não consistem apenas nessas reuniões. Por normalmente serem realizadas nas casas, ela favorece a partilha e comunhão fraterna.

A convivência entre os irmãos para além dos encontros semanais é o que gera fortes vínculos de amizade, acolhimento e fortalece a experiência de ser família.

Entre as diversas vantagens que existem ao formar essas pequenas comunidades, como o fato de serem grupos flexíveis, versáteis, há o fato de ter o leigo como protagonista na missão de discípulo evangelizador.

Ficou interessado e quer implantar uma célula comunitária também na sua paróquia? Compartilhe este conteúdo com os seus amigos!

Jéssica Maia

Jornalista por formação e missionária, Sua missão é anunciar a Paz ao coração dos homens. Atualmente compõem a equipe de Redação da Dominus. Seu coração está na evangelização!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *