A gestão da animação vocacional - Dominus Comunicação

A gestão da animação vocacional

O conceito de gestão da animação vocacional é novo para muitas congregações religiosas, arquidiocese ou diocese. Portanto, se você ainda não ouviu falar nisso, nós vamos te ajudar a desvendar este assunto.

O que você sabe muito bem é que a Animação Vocacional tem por finalidade trabalhar a cultura vocacional. Logo, é responsável por despertar nos jovens à vocação no seu sentido mais amplo.

Sabe também que para isso é necessário apresentar aos jovens as diferentes vocações da Igreja como opção de vida: matrimônio, leigo consagrado, vida religiosa e sacerdotal.

Contudo, é possível que você nunca tenha refletido sobre a importância de fazer isto de maneira organizada, o que garante uma melhor eficiência dos objetivos. Por isso, é aqui que entra em ação a gestão da animação vocacional!

 

Como a gestão da animação vocacional pode fazer a diferença?

 

A palavra “gestão” pode imediatamente nos remeter a processos administrativos. Contudo, apesar de não deixa de ser, vai muito além disto.

Gestão é o ato de gerir, de gerenciar processos e recursos de modo eficaz para se alcançar objetivos e metas propostas.

Neste sentido, a gestão da animação vocacional tem em vista facilitar todo o trabalho dos animadores vocacionais, ou seja, lançar luz no seu desenvolvimento.

Possivelmente,  agora você esteja se questionando: Afinal, como é possível fazer a gestão da animação vocacional?

Para responder a este seu possível questionamento, te lançamos uma pergunta: Você já ouviu falar ou sabe o que é um planejamento estratégico?

 

O planejamento estratégico e a animação vocacional

 

A primeira coisa que você precisa saber é que o conceito de planejamento estratégico se refere a um processo estruturado.

De maneira simples e prática, o planejamento estratégico possui um plano de ação detalhado que apresenta um passo a passo de tudo o que pode ser feito.

Você se lembra que anteriormente mencionamos algo sobre alcançar objetivos e metas? Pois bem, é o planejamento estratégico que nos permite determinar qual é o melhor caminho a ser seguido para atingirmos esses resultados.

Portanto, o planejamento estratégico acontece a partir de uma análise feita a partir de algumas perguntas, cujas respostas podem nos oferecer uma imagem real do cenário em que nos encontramos.

1)    Onde a animação vocacional está acertando?

2)    Quais são seus possíveis erros?

3)    Que projetos podem ajudar a despertar no jovem um conhecimento maior sobre Deus e sobre si mesmo?

4)    Que situações podem estar prejudicando o despertar vocacional dos jovens?

5)    Que situações externas podem ser aproveitadas para aproximar os jovens da temática da vocação?

Enfim, essa lista pode ter um número muito maior de questionamentos que podem ajudar a traçar um plano de ação certeiro.

Portanto, o planejamento estratégico se destaca como uma ótima iniciativa para gerenciar melhor as atividades da animação vocacional.

Contudo, agora que você já consegue compreender os conceitos de gestão da animação vocacional e planejamento estratégico, veja algumas dicas que podem te ajudar a pensar sobre este assunto.

Dica 1: Trate a evangelização do jovem como algo essencial

A evangelização dos jovens é essencial no processo vocacional. Ou seja, não adianta chegar neles e começar a falar sobre vocação, sem antes oferecer a eles a oportunidade de terem uma experiência evangelizadora.

Antes de tudo, o jovem precisa ter seu encontro íntimo com o Senhor, um encontro restaurador, que desperte nele o desejo de se relacionar com Deus. Por isso, a vocação será uma resposta que brotará em seu interior como um desejo profundo de se relacionar com o Divino.

A partir de uma boa evangelização é que o vocacionado será atraído a fazer uma aliança com Aquele que o chama.  

Dica 2: promova o fortalecimento da cultura vocacional dos missionários

O trabalho da Animação Vocacional vai além do despertar, animar e acompanhar os vocacionados.

Por isso, precisa de pessoas não apenas dispostas, mas preparadas para continuar a missão de Jesus que segue afirmando ao longo do tempo: “A messe é grande, mas os operários são poucos” (Lc 10, 2).

Neste sentido, os missionários e missionárias da comunidade religiosa são os protagonistas da promoção vocacional.

Sendo assim, eles devem ser os primeiros a vivenciarem o fortalecimento da cultura vocacional na sua própria vida. Afinal, o testemunho de sua vocação é um poderoso instrumento evangelizador.

Dica 3: invista na presença digital

O ambiente onde o jovem mais se faz presente ultimamente é o digital. É este o local onde a juventude de hoje busca entretenimento, novas experiências, novas amizades, informação e até conhecimento.

Sendo assim, por que não usar as ferramentas da internet para oferecer a eles também um encontro com Cristo?

Por isso, são muitas as congregações religiosas, dioceses e arquidioceses que perceberam esta oportunidade, começaram a investir na presença digital e já colhem seus frutos.

Porém, não se trata simplesmente de fazer postagens nas redes sociais perguntando: Você já pensou em ser padre? Você, jovem, já pensou em ser religiosa? Afinal, o caminho para chegar a este momento é longo!

É preciso começar, como dissemos anteriormente, com a evangelização dos jovens. Por isso, trata-se de uma evangelização discreta e suave que desperte neles o interesse em saber mais sobre as coisas de Deus.

Por meio de uma jornada de evangelização bem planejada, pensada a partir da gestão da animação vocacional, é possível oferecer aos jovens um caminho sutil de encontro com Deus.

Ao percorrer este itinerário, surgirá naturalmente em seu íntimo um despertar vocacional.

 

Saiba como a promoção vocacional pode acontecer no ambiente digital. Confira aqui!

 

 

Gisa Prado

Jornalista de formação, com longa experiência na produção de conteúdos para meios de comunicação católico.
Atualmente compõem a equipe de Redação na Dominus Evangelização e Marketing.  Seu coração está na evangelização!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *