5 coisas que a Pascom da sua paróquia pode estar fazendo errado

5 coisas que a Pascom da sua paróquia pode estar fazendo errado

5 coisas que a Pascom da sua paróquia pode estar fazendo errado

Se em algum momento a missão desenvolvida pelos agentes da Pascom foi pouco valorizada ou reconhecida, provavelmente isso ficou no passado.

Com as mudanças provocadas pela pandemia do novo coronavírus, a importância da Pascom tem se tornado cada vez mais evidente.

Porém, é necessário estar atento para não cometer alguns erros comuns e que podem comprometer a ação evangelizadora.

Separamos neste texto, 5 coisas que a Pascom da sua paróquia pode estar fazendo errado. Confira estes pontos e veja se a sua comunidade está caindo em alguma dessas armadilhas.

1. Centralizar a produção de conteúdo

A Pascom é o organismo paroquial responsável por realizar as ações de comunicação da comunidade, mas ela não pode e nem deve trabalhar sozinha.

Seu papel é dar voz e visibilidade a todas as pastorais. Tornar conhecido para os membros da comunidade, o que acontece no seu cotidiano. Além disso, promover o anúncio da Boa Nova é parte essencial de sua missão.

Portanto, centralizar a produção de conteúdo pode ser um grave erro. Uma vez que, a riqueza na evangelização se dá justamente pelo complemento de diversos olhares e experiências que cada pastoral tem para contribuir.

A Pascom deve buscar ter uma visão mais estratégica, articular as melhores ações, trabalhar as melhores maneiras de se falar sobre cada assunto. Porém, todas as pastorais precisam deixar sua parcela de contribuição. 

As demais pastorais podem desenvolver reuniões em conjunto com a Pascom para tratar do calendário de suas atividades e aquilo que desejam promover nos canais da paróquia. Por sua vez, a Pascom irá oferecer o auxílio necessário para que as ações alcancem o maior número de pessoas.

2. Usar as redes sociais como mural de avisos digital

As redes sociais não foram feitas para ser um mural de avisos digital da sua paróquia. As redes são um espaço precioso para você se relacionar com o seu público, interagir e criar vínculos.

É preciso avançar na evangelização online. Por isso, reveja os conteúdos que estão sendo postados pela sua comunidade. Invista em postagens que possam favorecer a interação e o vínculo com os fiéis e gere o sentido de pertença à Igreja, entre eles.

Promova momentos de oração virtual. Conte curiosidades a respeito da história de sua paróquia ou do santo padroeiro. Abra espaço para que as demais pastorais possam realizar ações de seus grupos. 

Do contrário, o perfil da sua comunidade será só mais um, dentre tantos, no continente digital. 

3. Não trabalhar a formação dos agentes de pastoral

Se comunicar bem e ser um usuário assíduo das redes sociais pode até ser um atrativo para ser um agente da Pascom. Mas, só essas características não são suficientes para garantir uma evangelização efetiva.

Para que a evangelização da Pascom possa ter um alcance maior e seja eficaz em sua missão, ela precisa ter não apenas um olhar missionário e espiritual, como também deve ser estratégica e profissional.

É preciso investir na formação dos agentes de pastoral, para que os missionários saibam como se comunicar e se relacionar com o seu público. Evitando cometer erros que ao invés de gerar uma aproximação dos leigos, possam ocasionar distanciamentos.

Não tenha medo de investir na formação dos agentes de pastoral. Ele possuem um papel de extrema importância dentro da Jornada de Evangelização da sua comunidade.

4. Investir em impressos para divulgação

A pandemia do novo coronavírus veio despertar a atenção para algo extremamente importante e do qual não podemos fugir mais: a evangelização no ambiente digital veio pra ficar.

Com o isolamento social e a impossibilidade de realizar ações presenciais, investir em impressos para a divulgação das ações da comunidade se mostra algo ineficaz. Uma vez que os fiéis não poderão receber os materiais da mesma forma e o acesso a ele geralmente é limitado ao número de pessoas que já frequentam a comunidade, é só um gasto a mais.

Por isso, investir em recursos para divulgação online não é só mais eficiente, quanto proporciona um alcance muito mais amplo do que o impresso. Além da possibilidade de mensurar os resultados das ações, avaliando o comportamento dos usuários, de uma maneira que não seria possível por meio dos conteúdos impressos.

Existem diversos exemplos práticos que a sua Pascom pode adotar, como realização de cursos, momentos de partilha, transmissão das atividades pastorais. 

Pesquise sobre eles e faça bom uso de cada uma dessas oportunidades.

5. Não ter uma estratégia de comunicação 

A principal missão da Pascom é evangelizar. Isso significa que ela precisa se comunicar com todos, não apenas com aqueles que já estão inseridos na realidade eclesial, mas sobretudo com aqueles que estão “chegando agora”. 

Não dá para contar somente com boas intenções e amadorismo nesta missão. É preciso ser estratégico. Lembre-se de que a Pascom é responsável pela conversão da presença digital para a presencial.

Não ter uma estratégia de comunicação clara e objetiva pode comprometer o processo evangelizador, uma vez que as informações podem ficar soltas ou podem não alcançar o público que se deseja. 

Estabeleça um bom planejamento de conteúdo visando a periodicidade das publicações. Assim, você pode garantir que ele é capaz de dar visibilidade para todas as pastorais de sua comunidade.

Os fiéis que já fazem parte da paróquia precisam encontrar neste espaço conteúdos ricos para sua formação espiritual. Logo, aqueles que estiverem chegando agora poderão ser atraídos pelo Evangelho de uma maneira nova. 

Se identificou com algum destes casos? Sua comunidade comete algum desses erros? Deixe aqui nos comentários a sua experiência e compartilhe este conteúdo com seus amigos.

Jéssica Maia

Jornalista por formação e missionária, Sua missão é anunciar a Paz ao coração dos homens. Atualmente compõem a equipe de Redação da Dominus. Seu coração está na evangelização!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *